Distúrbios

Ansiedade Generalizada

O transtorno de ansiedade generalizada é basicamente uma preocupação ou ansiedade excessiva ou com motivos injustificáveis.

Para ser diagnosticada é preciso que a ansiedade excessiva dure por mais de seis meses continuamente, sendo assim diferenciada da ansiedade normal.

A ansiedade normal se restringe a uma determinada situação, e, mesmo que a situação causadora de ansiedade não mude e continue desfavorável, a pessoa tende a adaptar-se e tolerar melhor a tensão, diminuindo o grau de desconforto com o tempo.

Assim uma pessoa que permaneça apreensiva, tensa, nervosa por um período superior a seis meses, ainda que tenha um motivo para estar ansiosa, começa a ter critérios para diagnóstico de ansiedade generalizada.

Quais os principais sintomas?

  • Dificuldade para relaxar
  • Sensação de que está a ponto de estourar, está no limite do nervosismo
  • Cansa-se com facilidade
  • Dificuldade de concentração e frequentes esquecimentos
  • Irritabilidade
  • Tensão muscular
  • Dificuldade para adormecer ou sono insatisfatório
  • Desempenho pessoal, profissional, social e familiar afetados

Depressão

Depressão é uma doença do corpo como um todo, que afeta o apetite, o sono, a disposição física e diversos aspectos psicológicos, além de dar um tom especialmente pessimista a tudo o que a pessoa faz, sente e percebe do mundo à sua volta.

Faz parte dos chamados transtorno de humor, sendo também conhecida como transtorno depressivo, pois afeta principalmente os estados de humor e afetos.

Em geral, dura longos períodos, de semanas a anos, podendo aparecer junto com outras doenças do corpo, ser desencadeada por situações estressantes ou mesmo vir sem um motivo aparente.

Quais os principais sintomas?

  • Pensamentos derrotistas, disfuncionais
  • Sentimentos persistentes de tristeza
  • Perda do interesse ou prazer pelas atividades de rotina ou passatempos
  • Desespero que surge sem razão aparente
  • Crises de choro
  • Ansiedade
  • Sentimentos de desesperança, pessimismo
  • Sentimentos de culpa
  • Distúrbios do sono (insônia, despertar matinal, hipersonia)
  • Irritabilidade fácil
  • Falta de apetite com perda de peso
  • Perda da energia
  • Dificuldade de concentração, de tomar decisões, de relembrar fatos
  • Dificuldade de relacionamento pessoal com tendência ao isolamento
  • Negligencia das responsabilidades e da aparência
  • Pensamentos de morte ou de suicídio, tentativa de suicídio

Quais as possíveis causas?

  • Predisposição genética
  • Situações difíceis, desgastantes, frustrantes
  • Perda de pessoa querida, de dinheiro, de posição profissional ou social
  • Parto
  • Distúrbio de estresse pós-traumático (experiência traumática na qual a pessoa se sentiu indefesa ou humilhada ou sem possibilidade de reação, como assalto, sequestro, acidentes)
  • Psicose
  • Uso ou abuso de certos medicamentos, como cortisona, anfetaminas, quimioterapia, etc
  • Drogas ou álcool, intoxicações
  • Algumas doenças físicas como hipotireoidismo, câncer, AIDS, pneumonia, reumatismo, infarto do miocárdio, insuficiência respiratória, etc
  • Dores crônicas
  • Traumatismos cranianos
  • Doenças cerebrais como acidente vascular cerebral (derrame), insuficiência circulatória cerebral, Alzheimer, arteriosclerose, esclerose múltipla, Parkinson, epilepsia

Qual o tratamento?

  • Tratamento com medicamentos antidepressivos
  • A psicoterapia cognitiva se mostra mais eficaz no tratamento da depressão

Transtorno do Pânico

O transtorno do pânico é definido como crises recorrentes de forte ansiedade ou medo. As crises de pânico são intensas, repentinas e inesperadas. Provocam nas pessoas sensação de mal estar físico e mental juntamente a um comportamento de fuga do local onde se encontra, seja a caminho do pronto socorro, seja buscando ajuda de quem está próximo.

A reação de pânico é uma reação normal quando existe uma situação que favoreça seu surgimento, como estar num local fechado onde começa um incêndio, afogamento ou em qualquer situação com eminente perigo de morte. O pânico passa a ser identificado como patológico, e por isso ganha o título de transtorno do pânico, quando a mesma reação acontece sem motivo, espontaneamente.

Quais são os principais sintomas?

Dentre vários sintomas pelo menos quatro dos seguintes devem estar presentes:

  • Palpitações e dores no tórax
  • Sudorese difusa ou localizada (mãos ou pés)
  • Tremores finos nas mãos ou extremidades, ou por todo o corpo
  • Sensação de sufocação ou dificuldade de respirar
  • Sensação de desmaio iminente
  • Dor ou desconforto no peito (o que leva muitas pessoas a acharem que estão tendo um ataque cardíaco)
  • Náusea ou desconforto abdominal
  • Tonteiras, instabilidade, sensação de estar com a cabeça leve ou vazia
  • Medo de enlouquecer ou de perder o controle de si mesmo
  • Medo de morrer
  • Sensação de dormências ou formigamento pelo corpo
  • Ondas de calor ou calafrios pelo corpo

Problemas gerais que podem se parecer com ataques de pânico

As doenças cujos sintomas são mais parecidas aos ataques de pânico são:

  • Hipertireoidismo ou hipotireoidismo
  • Feocromocitoma
  • Disfunções vestibulares
  • Convulsões
  • Intoxicação do sistema nervoso central
  • Doenças cardíacas

Qual o tratamento?

  • A psicoterapia cognitiva mostra-se o tratamento mais indicado no transtorno do pânico.
  • Medicação: antidepressivos, em casos acentuados

Estresse

O estresse é uma resposta de preparação do organismo para o ataque ou a defesa.

Podemos compreender o estresse de duas maneiras diferentes:

  • o estresse positivo, que leva à criatividade, à procura de novas formas mais excelentes de resolver problemas;
  • o estresse negativo, que nos leva a uma postura mais pessimista e derrotista frente aos nossos problemas e desafios, exagerando de forma intensa e prolongada certas reações, levando-nos a paralisações e comprometimentos psicossomáticos.

Características do estresse

Podemos caracterizar o estresse em três importantes momentos:

ALERTA: O corpo e todo o metabolismo sofre uma aceleração, está ocorrendo a percepção de perigo e organismo está em ativação.

RESISTÊNCIA: Desgaste da energia que utiliza. Sente cansaço e queda de resistência orgânica, dificuldades de concentração e de memória, podendo desenvolver doenças simples como dor de cabeça, gripes e resfriados constantes, espinhas, dentre outros.

EXAUSTÃO: Aumento de intensidade de sintomas e possíveis doenças como hipertensão arterial crônica, úlcera gástrica, diabetes, depressão, problemas de pele, dentre outros.

Quais os sintomas?

  • Sensação de fraqueza e fadiga
  • Tensão muscular elevada com cãibras e formação de nódulos dolorosos nos músculos dos ombros e das costas
  • Tremores, sudorese, cefaleias tensionais e enxaqueca, dores nas costas e nos ombros e braços
  • Hipertensão arterial, palpitações e batedeiras, dores pré-cordiais
  • Distúrbios da absorção e da contração do intestino grosso
  • Dores urinárias sem sinais de infecção

Qual o tratamento?

  • A psicoterapia cognitiva mostra-se o tratamento mais indicado para o estresse